Para que serve a imitanciometria?

Categoria:

 imitanciometria

Você já fez um exame de imitanciometria? Esse termo um tanto estranho refere-se a uma avaliação clínica muito importante para prevenir e avaliar os diferentes graus de perda auditiva. Ela é realizada com a ajuda de um fonoaudiólogo e pode ser dividida em três etapas distintas. Para entender todos os detalhes sobre o assunto, siga acompanhando. Boa leitura!

Sobre a imitanciometria

A imitanciometria é um exame que apresenta resultados aprofundados sobre a estrutura auditiva. Ele é indicado em diversas situações, porém, na maior parte dos casos, é solicitado pelo médico quando há suspeita de perda da audição.

Também chamado de impedanciometria, ele analisa o funcionamento do tímpano, dos ossos da orelha média (martelo, bigorna e estribo) e da tuba auditiva. Esta última é um canal ligado à faringe e que ajuda a manter o equilíbrio da pressão do ar.

O exame não tem contraindicação, podendo ser feito em bebês, crianças, adultos ou idosos. Em geral, ele dura poucos minutos e é realizado por um fonoaudiólogo, em um ambiente silencioso. Quase sempre é indicado junto com a audiometria, mas também pode ser feito individualmente.

As diferentes etapas do exame

A imitanciometria é dividida em três momentos: timpanometria, teste de reflexo acústico e teste de decaimento do reflexo acústico. Essas etapas são realizadas em sequência com a ajuda de um fone de ouvido e uma pequena sonda que libera estímulos sonoros. Tudo é praticamente indolor e não invasivo.

Timpanometria

Nesta primeira etapa, é medida a resistência da membrana timpânica em relação aos estímulos sonoros. Ao mesmo tempo, também é verificado o pressão sobre os ossos da bigorna, do martelo e do estribo.

Teste de reflexo acústico

Aqui, são emitidos sons moderadamente altos em cada um dos lados da orelha do paciente. O objetivo é usar a sonda para avaliar se os músculos de ambos os ouvidos reagem aos estímulos de forma simultânea.

Afinal de contas, uma pessoa em condições saudáveis reage aos sons de forma bilateral quando eles estão na faixa de 70dB a 100dB. Ou seja, mesmo que a onda sonora esteja direcionada apenas para uma das orelhas, as duas respondem.

Teste de decaimento do reflexo acústico

A última etapa da imitanciometria é o teste de decaimento do reflexo acústico. O objetivo neste caso é verificar as mudanças apresentadas no tímpano ao longo do tempo em que está sendo exposto a um estímulo sonoro. Em suma, programa-se um tempo médio de dez segundos e é observado se, nesse período, a membrana timpânica fica mais rígida ou flácida. Esse fenômeno é chamado complacência.

Os casos em que a imitanciometria deve ser realizada

Ao final da imitanciometria é possível identificar se o paciente apresenta algum grau de perda auditiva, bem como definir o seu tipo (condutiva ou neurossensorial). Fora isso, o exame detecta problemas na tuba auditiva, infecções, disfunções como otosclerose entre outras coisas.

Por conta da sua funcionalidade ampla, o teste é indicado em diversos casos, a citar:

  • como complemento da audimetria;
  • no tratamento da otite;
  • na identificação de dores de ouvido;
  • no diagnóstico de alergias respiratórias e respiração bucal;
  • na análise auditiva de pacientes com paralisia do nervo facial;
  • em pessoas com zumbido;
  • na triagem auditiva de bebês;
  • na avaliação auditiva de crianças

Como mostramos ao longo do texto, a imitanciometria é um exame muito importante no que se refere ao cuidado auditivo. Além de identificar diversos problemas, pode ser realizada em pessoas de idades variadas, desde bebês até idosos. Tudo isso, de maneira rápida, eficaz e indolor.

Agora que você já sabe todos os detalhes sobre esse exame auditivo, compartilhe o post de hoje com seus amigos.

agende agora