Os diferentes graus de perda auditiva. Entenda aqui

Categoria:

Quando se fala em perda da capacidade auditiva, é importante entender que isso nem sempre está associado diretamente com surdez. Na verdade, existem vários graus de perda auditiva, que vão desde a dificuldade para entender conversas em um tom de voz mais baixo até a completa ausência de sons. Ao longo do texto, vamos explicar mais detalhes sobre isso, siga acompanhando!

Os graus de perda auditiva

A deficiência auditiva é dividida em cinco graus diferentes, sendo eles:

  • leve;
  • moderada;
  • moderadamente severa;
  • severa;
  • profunda.

Apenas o médico poderá dizer em qual nível uma pessoa está, fazendo isso por meio de avaliações e exames variados, entre eles a audiometria. A análise correta é extremamente importante para que seja iniciado o tratamento adequado. Afinal, cada um dos graus de perda auditiva apresenta sintomas específicos e pode exigir ou não o uso de aparelhos auditivos. A seguir, estão detalhados cada um desses estágios.

1. Grau de perda auditiva leve

Aqui a pessoa apresenta pequenos déficits na hora de escutar, mas nada muito extenso. A dificuldade é mais para ouvir sons baixos ou se comunicar em ambientes muito barulhentos. Muitas vezes, a perda auditiva leve  é negligenciada por conta dos sintomas menos aparentes, o que pode agravar o problema.

2. Grau de perda auditiva moderada e moderadamente severa

A perda moderada já afeta de modo mais intenso o cotidiano da pessoa, afinal há dificuldade para entender a fala, principalmente em conversas em grupo. Os sons, geralmente, precisam ser acima de 41 decibéis para serem audíveis.

Quem tem perda moderadamente severa tem sintomas ainda mais evidentes e só ouvem sons acima de 50 decibéis.  Ou seja, barulhos do trânsito, o latido de um cachorro ou mesmo o barulho de um aspirador de pó podem não ser escutados com facilidade.

Em ambos os casos, o uso do aparelho é necessário.

3. Grau de perda auditiva severa

A perda de audição em grau severo também exige o uso de aparelhos auditivos. Afinal, as pessoas com esse nível do problema só conseguem escutar sons muito altos, acima dos 70 decibéis. Então, elas só escutam alguém falando quando a pessoa grita, não ouvem um secador de cabelo e não conseguem compreender nada da fala em ambientes barulhentos, como um restaurante.

4. Grau de perda auditiva profunda

De todos os graus de perda auditiva, o nível profundo é aquele que mais compromete a qualidade de vida. Aqui a maior parte dos sons não é percebida, mesmo aqueles muito altos, como o barulho da turbina de um avião. Para compreender a fala, o aparelho auditivo é indispensável, até porque a pessoa só escuta sons acima de 90 decibéis.

As consequências da perda auditiva no cotidiano

Depois de entender os vários graus de perda auditiva, fica claro que esse é um problema que afeta o cotidiano de diferentes maneiras. Muitas vezes, ele pode levar ao isolamento social, a dificuldades no trabalho e no aprendizado.

Sendo assim, procure um médico se apresentar qualquer sintoma de perda auditiva ou desconfiar do problema. Desse modo, você amplia sua qualidade de vida e evita complicações futuras ao colocar em prática o tratamento e os cuidados clínicos mais adequados a seu caso.

Esperamos que o artigo de hoje o tenha ajudado e, caso surjam outras dúvidas sobre o tema, confira nosso portal de notícias. Nele você pode encontrar várias matérias interessantes.