Excesso de cera no ouvido faz mal?

Categoria:

excesso de cera de ouvido

Você sabe quando está com excesso de cera no ouvido? Sentir dor no local, uma sensação de zumbido ou de som abafado são alguns sinais do problema. Porém, nem sempre a cera, ou cerume, é prejudicial. E, mais, removê-la de forma constante com as hastes flexíveis, conhecida popularmente como “cotonetes” pode trazer mais prejuízos que benefícios. Quer saber mais sobre o assunto? Siga acompanhando.

A formação e o excesso de cera no ouvido

A cera é formada por meio de glândulas que ficam localizadas no canal auditivo. Ela funciona como uma rede de segurança. Assim, prende poeira, poluição, bactérias e até mesmo pequenos insetos, impedindo-os de chegarem até o tímpano ou as células internas do ouvido. Além disso, por ter um pH mais ácido, a secreção também dificulta a proliferação de fungos e microrganismos.

Desse modo, a cera é extremamente importante para a manutenção da saúde auditiva e, em geral, ela é eliminada de forma espontânea. Isso ocorre por meio dos movimentos da mastigação e pela descamação da pele que levam a secreção velha, juntamente com todas as sujidades acumuladas, para a parte mais externa do canal auditivo.

Contudo, existem pessoas que têm dificuldade com essa autolimpeza e acabam acumulando um excesso de cera no ouvido. Isso gera vários resultados prejudiciais, como o desenvolvimento de infecções, problemas na audição, tonturas etc. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas do problema e à forma correta de realizar a limpeza — e, já avisamos, não é com hastes flexíveis/cotonete!

Sintomas de excesso de cera no ouvido

Quando o cerume fica acumulado na região auditiva, ele pode, entre outras coisas, pressionar a membrana do tímpano. Isso impede que as ondas sonoras sejam transmitidas de forma adequada, causando dificuldade para escutar ou perda temporária da audição.

Além do mais, aumenta o risco do desenvolvimento de otite, infecção causada por vírus ou bactérias que geras dor, vermelhidão e sensação de ouvido tampado. Todos esses fatores também podem prejudicar, de forma geral, a sensação de equilíbrio que possuímos. O resultado é o aparecimento de tonturas, o que aumenta o risco de quedas. Principalmente, em pessoas de mais idade.

Sendo assim, caso esteja sentindo algum incômodo no ouvido, procure um médico para avaliar a situação. Se for excesso de cera, ele fará um exame clínico simples para identificar o problema, indicando, em seguida, o melhor tratamento.

Formas de realizar a limpeza auditiva

Assim como o excesso, a falta de cerume também causa problemas ao ouvido. Isso gera sintomas como coceira e sensação de orelha seca. Além do mais, o canal auditivo fica livre para a entrada de sujeiras, objetos e outras matérias.

Desse modo, a limpeza auditiva só deve ser feita no caso de acúmulo de cera e, preferencialmente, por um médico especializado. Então, não utilize hastes flexíveis/cotonetes ou outros objetos pontiagudos dentro do ouvido, pois eles podem causar perfuração do tímpano. Além disso, é possível que empurrem a secreção mais para dentro do canal auditivo, bloqueando a passagem do som.

Outros métodos populares, também são contraindicados e podem causar sérios problemas.

Diante do que apresentamos, fica claro que o excesso de cera no ouvido é prejudicial à saúde, porém os procedimentos para removê-la precisam de orientação médica. Ou seja, nada de fazer isso de forma constante e aleatória. Cuide de sua audição!

Aproveite e compartilhe este post com seus amigos e parentes nas redes sociais e oriente-os sobre o assunto.

 

Ouvido abafado: o que pode ser e como tratar?

 

Conheça nossa loja online Loja online