Como melhorar a convivência com alguém que tem perda auditiva? Categoria:

 

Uma parcela da população tem perda auditiva. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 400 milhões de pessoas tinham algum nível de deficiência até 2018 e esse número deve subir para 900 milhões até 2050. Sendo assim, é mais do que importante saber se relacionar com essa parcela da sociedade. E como fazer isso de forma natural? Esse é o tema do artigo de hoje. Segue com a leitura.

Entenda o problema da perda auditiva

Para se relacionar de forma mais tranquila com que tem perda auditiva, você precisa saber que existem diversos níveis da perda. O déficit sonoro é dividido em quatro estágios: leve, moderado, severo e profundo, e, em cada um deles, a pessoa terá dificuldades específicas.

Os surdos de nascença comunicam-se, majoritariamente, pela Língua Brasileira de Sinais (Libras). Já a população que desenvolveu o problema depois da prática da fala consegue fazer uso da leitura labial e responder oralmente.

Busque informações

Leia livros sobre o assunto, assista a reportagens e converse com especialistas. Assim, você entende as várias questões que envolvem a perda auditiva e não fica no campo do “achismo”. Buscar compreender as dificuldades do outro é a base para qualquer convivência saudável.

Saiba que o aparelho auditivo ajuda na maioria dos casos

A maior parte da população com problema auditivo possui perda leve ou moderada e consegue ouvir de forma quase natural com a utilização do aparelho auditivo.

Não grite

Em geral, as pessoas tendem a aumentar muito o tom de voz quando falam com alguém que possui perda auditiva. Só que isso é totalmente desnecessário e deselegante. Converse de forma natural e fale mais alto apenas se a pessoa solicitar.

Fale sempre de frente para a pessoa

No caso do surdo oralizado, ele se comunica com o ouvinte pela leitura labial. Portanto, se você estiver de costas ou em uma posição lateral, a visualização dos lábios fica comprometida, assim como a comunicação. Pessoas com perda auditiva mais leve também podem fazer uso da leitura labial para melhorar a compreensão sonora. Ou seja, sempre fale de frente para a pessoa.

Comunique-se devagar, mas não em câmera lenta

Falar devagar ajuda o som a ter mais tempo de chegar até o cérebro e ser processado, além de não misturar muitos ruídos de forma simultânea. Isso ajuda a pessoa com deficiência auditiva a entender melhor o que você está dizendo, mas não exagere. Falar devagar não quer dizer soletrar as palavras. Agir assim não facilita a compreensão, deixa a comunicação tediosa e é desconfortável para você e seu interlocutor.

Seja delicado na hora de chamar a atenção da pessoa

Quando você quiser iniciar uma conversa com alguém que tem perda auditiva, faça sinais para ela vê-lo. Mexa as mãos ou toque de leve no ombro da pessoa. Não bata com força nem faça gestos exagerados. Isso pode constranger você e o outro.

Conviver com alguém que tem deficiência auditiva exige adaptação, porém o processo passa a ser tranquilo quando você busca informações. Estar disposto a aprender e quebrar preconceitos são passos essenciais para uma convivência de qualidade.

Para saber mais informações sobre perda auditiva acompanhe outros artigos aqui no site ou entre em contato com nossa equipe.