A importância do teste da orelhinha para a saúde auditiva dos bebês

Categoria:

teste da orelhinha

Você, com certeza, já ouviu falar no teste da orelhinha. O exame realizado em recém-nascidos é obrigatório em todos os hospitais brasileiros e ajuda a identificar problemas auditivos de maneira prévia. Porém, como esse procedimento é feito e por que é indicado para bebês? Vamos explicar tudo isso ao longo do post. Venha conosco saber mais.

O que é o teste da orelhinha?

O teste da orelhinha é chamado de triagem neonatal auditiva. Ele deve ser feito até, no máximo, os três meses de vida da criança. Contudo, para aquelas que nascem em hospitais, o exame é realizado entre o segundo e o terceiro dia de vida, sendo um procedimento obrigatório para a alta da maternidade.

De custo gratuito, o teste é totalmente indolor e não possui nenhum risco ou contraindicação. Para realizá-lo, um fonoaudiólogo coloca na orelha do recém-nascido um aparelho que produz ondas sonoras leves. A partir de então, é analisada a forma como esses estímulos são processados pelo ouvido interno.

Se tudo estiver dentro do padrão, a criança é liberada. Caso contrário, ela é encaminhada para testes mais específicos, de maneira a observar a existência de algum problema. Todo esse processo é feito com bastante tranquilidade, no momento em que o bebê está dormindo.

Por que o exame é obrigatório?

O teste da orelhinha tornou-se obrigatório no ano de 2010, quando a Lei nº 12.303 foi sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O motivo dessa decisão ocorre embasado em diversos fatores. O primeiro deles é que existe um número expressivo de bebês que nascem com algum tipo de problema auditivo. De acordo com dados médicos, são três a cada mil nascimentos.

O segundo ponto é que a perda da audição, nos mais diferentes graus, acarreta diversos prejuízos para o desenvolvimento pleno das crianças. Isso inclui, entre outras coisas, aquisição da linguagem e interação interpessoal.

Além disso, quanto mais cedo for detectado um problema auditivo, mais fácil será definir qual o tratamento certo para cada situação, evitando complicações futuras.

Quais as principais causas de problemas auditivos em bebês?

Várias razões estão atreladas ao aparecimento de problemas auditivos em bebês. Contudo, é possível definir algumas causas mais usuais. São elas:

  • má-formação durante a gravidez;
  • aparecimento de doenças genéticas;
  • complicações devido a doenças infecciosas, como rubéola ou toxoplasmose;
  • nascimento prematuro;
  • problemas durante o parto.

Por isso, é muito importante que a mãe realize o pré-natal de forma adequada e faça o teste da orelhinha na criança depois do nascimento. Esses procedimentos são básicos para garantir a saúde e o bem-estar da criança.

Qual a diferença entre o teste da orelhinha e o PEATE?

O termo PEATE é uma sigla usada para Potencial Evocado Auditivo do Tronco Encefálico. Este é um exame também voltado para a análise do sistema auditivo em recém-nascidos. Porém, ele é feito de forma mais profunda e, em geral, sua realização ocorre caso seja registrada alguma alteração no teste da orelhinha.

O PEATE é feito enquanto o bebê está dormindo, porém faz uso de fones de ouvido e de eletrodos posicionados atrás da orelha e na testa. O objetivo é avaliar como os estímulos sonoros ativam os nervos auditivos, observando possíveis problemas.

Bem, diante de tudo o que explicamos, é fácil perceber como e por que o teste da orelhinha é tão importante para a saúde auditiva dos bebês. Apesar de ser um procedimento extremamente simples, ele consegue identificar alterações de forma prévia, contribuindo para o desenvolvimento pleno dos pequenos.

Caso tenha gostado do post de hoje, não deixe de conferir também o texto Como identificar perda auditiva em crianças? para entender melhor todo esse assunto.

agende agora

Conheça nossa loja online Loja online